domingo, 17 de Janeiro de 2010

OS TRÊS PORQUINHOS (nova versão)



Era uma vez 3 porquinhos, que viviam na cidade.



Um dia o seu pai aconselhou-os: -Meninos, vocês têm que ir para a escola e estudar, senão vão servir de presunto para um hipermercado!


Os 2 mais novos, como gostavam muito de brincar, disseram: -Mas pai, nós queremos é brincar, não queremos ir para a escola. E o irmão mais velho, que gostava de estudar, rebateu: -Não pode ser, vocês têm é que estudar para terem um grande futuro.


-Mas ninguém te perguntou nada, por isso não te metas! – Responderam eles.


-O vosso irmão tem razão, têm que ir para a escola, senão… – Frisou o pai.


No dia seguinte, preparam-se todos para ir para a escola, mas ao lá chegarem, o irmão mais velho entrou para a sala de aula e os mais novos foram brincar.


Enquanto os mais novos brincavam, apareceu o lobo.


-Que fazem aqui dois leitõezinhos tão apetitosos?


-Oh! vai-te embora que nós não queremos conversa!


-Mas que maneira de falar! Eu sou o rei das batatas fritas, se quiserem vir comigo, eu ofereço-vos um saco cheio, ou melhor, 2 sacos cheios…


-Boa! Adoramos batatas fritas! - gritaram em coro.



-Entrem no meu carro “BMW”. - convidou o lobo.



Quando chegaram ao bairro da “Alcateia dos ranhosos”, o lobo disse:



- Agora, têm que trabalhar para mim senão como-vos!



- Não! Por favor, não nos coma, somos muito novos para morrer!



-E as minhas batatas fritas?



- Façam o que eu vos mando!



- O quê? Nós nem sabemos trabalhar!



-O mais novo pode fazer-me a pedi cure e o mais velho pode fazer-me a depilação.



- Que nojo, não sei fazer depilação! E eu não sei fazer pedi cure! - Reclamaram os porquinhos.



-Menos conversa e mais trabalho!



Quando o mais velho saiu da escola não encontrou os irmãos.



Perguntou à vaca Matilde (que era muito cusca) se tinha visto os seus irmãos. E a vaca Matilde respondeu-lhe:



-Por acaso vi-os passar, e não iam com muito boa companhia…Iam com o lobo.



-Obrigada, dona Matilde.



Ouvindo isto, o porquinho calculou logo que o lobo os tinha levado para o bairro da “Alcateia dos Ranhosos”.



Quando lá chegou, o porquinho viu os seus irmãos a trabalhar para o lobo e foi tentar negociar com ele:



-Boa tarde, senhor lobo, queria fazer-lhe uma proposta.



-Pode fazer. – anuiu o lobo.



-Os meus irmãos, com certeza, não estão a fazer muito bem o seu trabalho.



-Por acaso, até tem razão!



-Pois claro, eles ainda não estudaram para o fazer bem, se me deixar levá-los, prometo que eles estudarão para serem uns grandes esteticistas e fazerem-lhe a depilação e a pedi cure perfeitas.



-Então, assim, pode ser. Mas eu vou estar de olho em vocês. Se quando acabarem os estudos, não me fizerem a depilação e a pedi cure todos os dias, já sabem o que acontece…



A partir daí, os porquinhos nunca mais faltaram às aulas. Tiraram, realmente, o curso de esteticista, no entanto, nunca mais apareceram no bairro da “alcateia dos ranhosos”. O lobo ainda pensa que um dia lhe vão fazer a pedi cure e a depilação de graça…

Catarina Nogueira, 7º C

4 comentários:

Marta disse...

A imaginação dos jovens é, realmente, algo a preseverar. Parabéns pelo texto, está bastante criativo.
Joca

Anónimo disse...

Parabéns! Um texto cheio de sentido de humor.
Continua a escrever Catarina. :)
Beijinhos

Carla Silva

Viva disse...

Boa!
"Com papas e bolo se enganam os lobos"!
Continua a dar largas à tua imaginação, porque cada um de nós tem o seu conto.

Ana Santos - Biblioteca Florbela Espanca

Lorrane disse...

Esse texto e fantastico...
tinha um trabalho escolar para fazer "contos na norva versão)e tirei um 10. A profª amou..
Parabéns